Paliber

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home
Notícias!

Estados Unidos e China formalizam

acordo climático de Paris

Os Estados Unidos e a China entregaram ao secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, os instrumentos legais para a ratificação do Acordo de Paris sobre mudanças climáticas. Os presidentes norte-americano, Barack Obama, e chinês, Xi Jinping, se encontraram neste sábado (3) na China, onde participarão da reunião do G20, para formalizar a ratificação do acordo.

Juntos, os dois países são responsáveis por cerca de 40% das emissões globais de gases de efeito estufa. Após a entrega, Barack Obama disse que Estados Unidos e China, como grandes economias e os maiores emissores, devem liderar pelo exemplo e repassar a confiança de que o mundo está caminhando em direção a um futuro com economia de baixo carbono.

"Assim como eu acho que o Acordo de Paris acabará por revelar-se um ponto de inversão para o nosso planeta, eu acredito também que a história vai julgar os esforços de hoje como fundamentais", disse Ban Ki-moon, ponderando que o acordo não vai salvar sozinho a crise climática do mundo.

O secretário-geral da ONU elogiou a postura dos dois líderes e disse que o fato de hoje representa um "poderoso impulso" para as demais adesões. Agora, 26 países já ratificaram o acordo, e restam outras 29 nações para que ele seja, de fato, ratificado.

"Estou esperançoso e otimista de que conseguiremos fazê-lo antes do fim do ano. Peço que todos os líderes, particularmente os países do G20, acelerem seus processos domésticos de ratificação para que possamos transformar as aspirações de Paris na ação climática transformativa da qual o mundo precisa tão urgentemente", disse Ban Ki-moon.

Edição: Kleber Mota Vaz Sampaio* Com informações da Casa Branca e da ONU no Brasil

 

Em Amatrice na Itália tremor danificou

edifícios históricos e causou 

centenas de mortos

Além de ter tirado a vida de mais de 280 pessoas, o terremoto que atingiu a Itália na última quarta-feira (24/08) danificou bens culturais: 293, sendo 50 deles de maneira quase ou irreversível. As informações são da Agência Ansa.

Em Amatrice, a cidade mais afetada pelo sismo, pelo menos 11 edifícios históricos desabaram, incluindo duas basílicas (San Francesco e Sant'Agostino), seis igrejas (San Giovanni, Sant'Agnese, Santa Maria del Suffragio, San Giuseppe, Sant'Emidio e del Crocifisso), o Arquivo Municipal, a Biblioteca Municipal e o Museu Cívico. Além disso, outros quatro monumentos estão gravemente danificados: as portas Romana e Ascolana, a Torre Cívica e o Arco San Francesco.

Já em Arquata del Tronto, segunda cidade mais atingida, a igreja Santa Croce ficou completamente destruída, enquanto outras duas (Santissima Annunziata e Santissimo Salvatore) estão com avarias sérias em seus tetos e campanários.

Na vizinha Urbino, terra do pintor renascentista Rafael Sanzio, o famoso domo local registrou leves danos nas paredes, mas não corre riscos. Também foram detectados problemas em igrejas e museus de Ascoli Piceno, Montegallo, Montemonaco, Tolentino, San Ginesio, Gualdo Tadino, Valle Castellana, Rocca Santa Maria, Campli, Torano Nuovo, Teramo, Isola del Gran Sasso, Norcia, Sellano e Cerreto di Spoleto.

Da Agência Ansa

 

Uma magnifica festa no maracanã 

marcou a abertura dos jogos 

Olímpicos da Rio2016

A cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos da Rio 2016 iniciou exaltando uma das principais características do Rio de Janeiro e surpreenderam a todos pela sua magnitude e objetividade de enredo, mostrando a cidade maravilhosa e as diversidades culturais do Brasil.

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach e o  presidente do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, Carlos Arthur Nuzman, falaram e enalteceram a grandeza do esforço brasileiro na realização Rio 2016.

O cantor Paulinho da Viola emocionou o público com uma interpretação do Hino Nacional em um palco inspirado nas formas do arquiteto Oscar Niemeyer. A festa seguiu com uma homenagem ao "espírito da gambiarra", definido pelos organizadores como "o talento para fazer algo grande a partir de quase nada". Nessa parte da abertura, a arte geométrica brasileira foi homenageada, como referências a Athos Bulcão, geometria indígena, estampas africanas e azulejos portugueses. As duas mensagens mais importantes da cerimônia, a paz e a sustentabilidade, vieram logo em seguida, com a transformação do símbolo da paz em uma árvore.

Logo depois, a cerimônia voltou no tempo, ao nascimento das imensas florestas que cobriam o Brasil na chegada dos portugueses. Do começo da vida, a homenagem avança até a formação dos povos indígenas, cuja entrada foi representada por 72 dançarinos das duas grandes agremiações do Festival de Parintins, os Bois Caprichoso e Garantido.

A chegada dos europeus em caravelas, o desembarque forçado dos africanos escravizados e a migração de árabes e orientais ao país foi representada após, com pessoas que descendem de cada um desses grupos.

A importância dos negros na cultura brasileira ganhou destaque com as rappers Karol Conka e McSofia, de apenas 12 anos. Manifestações culturais como o maracatu, os bate-bolas e o bumba-meu-boi também dividiram o espaço no palco do Maracanã e o treme-treme, do Pará, foi representado pela Gang do Eletro.

 


Página 2 de 14

Folder de apresentação do XVI Greenmeeting

Revista Sustentabilidade É O FOCO

Apoiadores