Paliber

  • Aumentar tamanho da fonte
  • Tamanho da fonte padrão
  • Diminuir tamanho da fonte
Home
Notícias!

Termina no Rio de Janeiro o XVI Encontro

Verde das Américas 2017

alt

Mesa de abertura do XVI Encontro Verde das Américas 2017

O XVI Encontro Verde das Américas foi encerrado nesta terça-feira 26/09 no Teatro do BNDES no Rio de Janeiro, após um amplo debate sobre diversos temas ambientais, por um seleto grupo de palestrantes do auto escalão da gestão ambiental brasileira e das Américas. O Encontro recebeu o Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani Tempesta; a Embaixadora María Jacqueline Mendoza Ortega, Secretária Geral da OTCA - Organização do Tratado de Cooperação Amazônica; Embaixador Nils Martin Gunneng, Noruega; Embaixador Riccardo Savone, Canadá; Embaixador Lars Honnas, da Suécia, o Embaixador da Alemanha Georg Witschel, o Vice-Almirante Lima Junior entre outros.

O XVI Encontro Verde das Américas, o “Greenmeeting Rio 2017” é um importante Fórum que visa propor soluções para as principais questões socioambientais e econômicas do Brasil e do hemisfério, reúne tecnólogos, pesquisadores, autoridades, representantes de empresas e autarquias, órgãos ambientais, professores e alunos universitários, representantes de instituições nacionais e internacionais, bem como diplomatas de vários continentes, com o proposito de realizar um importante debate em prol do desenvolvimento Sustentável e de melhores condições de vida no planeta.

O objetivo do Encontro é ser um banco de ideias que possa apresentar inovações e propostas importantes que leve ao desenvolvimento de empreendimentos sustentáveis, socioambientais e econômicos, configurando como uma startup de aceleramento de iniciativas inovadoras, entre elas técnicas referentes às mudanças climáticas, água e energia renovável.

alt

Mesa de encerramento do XVI Encontro Verde das Américas 2017 com o Embaixador da Alemanha, Georg Witschel, Marilene Ramos, BNDES, Carlos Eduardo Young, André Rodrigues, Svetlana Miranda, Ten Coronel Helder de Barros Guimarães e Morenno de Macedo da Caixa Econômica Federal.

Na abertura foi entregue o Prêmio Verde das Américas a quatro palestrantes, um em cada categoria, que são:


alt alt alt

Cardeal Arcebispo do Rio de Janeiro Dom Orani Tempeste recebe o Prêmio do Superintendente dos Correios no Rio de Janeiro, Kleber Machado.


Embaixadora María Jacqueline Mendoza Ortega, Secretária Geral da OTCA – Organização do Tratado de Cooperação Amazônica.

alt
alt

Embaixador Lars Ronnås, Negociador para as Mudancas Climáticas do Ministério das Relacões Exteirores da Suécia.
Homenageado com o Prêmio Verde das Américas Embaixador Riccardo Savone, Canadá.





Palestrantes do XVI Encontro Verde das Américas:




alt
alt

Sergio Bersseman - Presidente do Instituto de pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
 

Embaixador Nils Martin Gunneng, Noruega – “A cooperação da Noruega em defesa da Amazônia".

alt
alt

Vice-Almirante Wilson Pereira de Lima Filho, Diretor de Portos e Costas da Marinha.
Keylah Tavares, Cerimonial, Graduada em Ciências Biológicas e Pós graduada em Ciências Ambientais. 

alt
alt

Ricardo Ramos, Diretor do BNDES, na abertura solene do XVI Encontro Verde das Américas.


André Rodrigues Costa Oliveira, Palestrante no XVI Encontro Verde das Américas.

alt
alt

Leonardo Pereira Lamego, Sócio do Azevedo Sette Advogados, Professor de Direito Ambiental.
Vilmar Berna, Escritor e jornalista - Fundador da Rebia - Rede Brasileira de informação Ambiental.

alt
alt

David Mai Wai Zee - Prof. Dr. Graduação em Engenharia Civil, mestrado em Coastal and Oceanographic e doutor em Geografia Ambiental.
Embaixador Georg Witschel, Alemanha - Cursou Direito em Erlangen, Alemanha, com Doutorado em Direito Internacional Público.

alt

alt


Robson Spinelli Gomes - Doutor em Engenharia de Produção, mestre em Ciência Ambiental e bacharel em física.
Fábio Rubio Scarano - Diretor Executivo da Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável. PhD. em Ecologia. 

alt
alt

Rodrigo Lins Frutuoso - Técnico da Coordenação Geral de Vigilância em Saúde Ambiental do Ministério da Saúde.
Kleber MachadoSuperintendente Regional dos Correios no Rio de Janeiro e Luiz Prado, Palestrante.

alt
alt

Svetlana Maria de Miranda, Advogada, Presidente do Comitê de Meio Ambiente da Câmara Americana de Comércio – AMCHAM, Belo Horizonte MG. 
Juliana Santiago, Chefe do departamento do Fundo Amazônia no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social  BNDES.

alt
alt

Carlos Eduardo Frickmann Young, Prof. Dr. Coordenador do Grupo de Economia do Meio Ambiente do Instituto de Economia da UFRJ.
Marilene Ramos, Diretora de Infraestrutura e Sustentabilidade do BNDES. Engenheira civil e doutora em Engenharia do Meio Ambiente.

alt
alt

Morenno de Macedo, Gerente Executivo de Promoção de Negócios Sustentáveis na Gerência Nacional de Sustentabilidade e Responsabilidade Socioambiental da Caixa Econômica Federal.
Tenente Coronel Helder de Barros Guimarães. Assessor da Diretoria de Patrimônio e Meio Ambiente do Exercito Brasileiro. Graduado em Ciências Militares e Doutor em Engenharia Civil.

alt
alt

Kleber Machado, Superintendente dos Correios no Rio de Janeiro e o Coordenador do Encontro Ademar Soares, no lançamento do selo comemorativo - Mata Atlântica. 
Kleber Machado, Superintendente dos Correios no Rio de Janeiro e o palestrante André Rodrigues, no lançamento do selo comemorativo - Mata Atlântica. 

alt
alt

Kleber Machado, Superintendente dos Correios no Rio de Janeiro e o palestrante Luiz Prado, no lançamento do selo comemorativo - Mata Atlântica.
Leonardo Assessor da Superintendente dos Correios no Rio de Janeiro, no lançamento do selo comemorativo - Mata Atlântica.

alt
alt

Svetlana Maria de Miranda, Advogada, Presidente do Comitê de Meio Ambiente da Câmara Americana de Comércio – AMCHAM, Belo Horizonte MG. 
Leonardo Pereira Lamego, Sócio do Azevedo Sette Advogados, Professor de Direito Ambiental.


alt

Parte da equipe de organização
Equipe da Secretaria - UVA


alt


 

Polônia expressa preocupação por manobras

militares de Rússia e Bielorrússia

Da Agência EFE14/09/2017 15h09,

O governo de Varsóvia denunciou nesta quinta-feira (14) "indícios" de que as manobras conjuntas iniciadas pelos exércitos de Rússia e Bielorrússia perto da fronteira com a Polônia e com os países bálticos têm "caráter ofensivo", ao contrário do declarado por Moscou. A informação é da EFE.

O vice-ministro de Defesa da Polônia, Michal Dworczyk, expressou em uma declaração no Parlamento sua "preocupação" perante estes exercícios militares denominados "Zapad 2017", que tanto a Polônia como a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) "acompanham de perto".

Tratam-se algumas manobras que não são transparentes, tanto pela falta de informação sobre o número de soldados envolvidos quanto pelas incertezas em torno do cenário escolhido", acrescentou o titular da Defesa, referindo-se às dúvidas expressadas pela Otan quanto à veracidade dos dados apresentados por Moscou.

A Rússia afirma que estas manobras mobilizaram cerca de 12.700 soldados (de modo que deveria apenas informar à Otan e convidar observadores), quando a aliança estima que o número de militares envolvidos é de aproximadamente 100 mil."

As "Zapad", manobras militares que a Rússia e a Bielorrússia realizam a cada quatro anos para melhorar sua coordenação, acontecem perto das fronteiras da Polônia, Estônia, Letônia e Lituânia. O alerta perante estes exercícios também afetou os países bálticos, que criticaram a falta de transparência da Rússia e se consideraram preparados para se defender.

A presidente da Lituânia, Dalia Grybauskaite, afirmou em uma entrevista à rádio LRT que seu país “está melhor preparado" agora do que em ocasiões anteriores, em parte pela ajuda dos "amigos da Otan". Ela também denunciou que, apesar da fase "ativa" das manobras ter começado hoje, os "movimentos de tropas e os preparativos" estão acontecendo "há cerca de um mês".

Por sua vez, o ministro de Relações Exteriores da Letônia, Edgars Rinkevics, afirmou à televisão pública que seu país "não considera os exercícios como uma ameaça militar direta", mas reconheceu que o governo está em "estado de alerta".


"Não podemos descartar as tentativas de testar as defesas da Otan ou de nos testar de uma forma não militar, como em ciberdefesa", acrescentou.

 

Furacão Harvey deixa 46 mortos em Houston

fortes chuvas atingem o Tennessee

Uma semana depois do início do furacão Harvey na costa do Texas, a busca por sobreviventes continua. O fenômeno já é considerado um dos desastres naturais de maior impacto em termos de custos da história dos Estados Unidos.

O Harvey, agora rebaixado a depressão tropical, já deslocou mais de um milhão de pessoas. Por enquanto, estima-se 46 mortes, causadas pelas enchentes que paralisaram Houston,

Levando os rios a subir para níveis recordes e cortando o suprimento de água potável na cidade de Beaumont, de cerca de 120 mil habitantes. A depressão tropical agora se direciona ao nordeste do país. Desde quarta, chuvas fortes atingem o Tennessee, e continuaram ao longo desta sexta.

Também na sexta, o presidente Donald Trump disse que deve fazer em breve o pedido de financiamento ao Congresso para ajudar o Texas e a Louisiana a se recuperarem da devastação do furacão Harvey. A expectativa é que o governo federal peça quase seis bilhões de dólares.

Além disso, o prefeito de Houston pediu para que os moradores que ainda estão nas áreas inundadas deixem suas casas.

E um novo perigo já surge. É o Irma, o quarto furacão desta temporada, que ainda ganha força no Atlântico e ameaça os Estados Unidos e o Caribe a partir da semana que vem.

Paola de Orte

 


Página 1 de 16

Folder de apresentação do XVI Greenmeeting

Revista Sustentabilidade É O FOCO

Apoiadores